Reflexões: Comunidade LGBTQ+ Usada Como Estratégia de Marketing?

de - terça-feira, agosto 29, 2017


Saudações Unicórnios!

Eu só pedia que, antes de ficarem triggered (porque hoje em dia qualquer coisa dá trigger), leiam até ao fim, e vão ver que isto não é nenhuma ofensa à luta pelos direitos LGBTQ+ nem aos que a usam para ganhar atenção (desliguem o trigger que eu já explico o que quero dizer) mas sim uma REFLEXÃO/TEORIA/OPINIÃO, tal como o título diz, e sobre o porquê de esta ser uma situação da qual ninguém parece estar apercebido mas também uma situação win-win.

Quando É Que Esta Luta Começou a Ser Notada?

Primeiro, quero começar pelo boom da luta pelos direitos LGBTQ+ em Portugal. Achei uma cronologia muito simples que vai resumir as conquistas feitas até agora e o que resta conquistar:
"1982 – A homossexualidade é permitida no nosso país.
1999 – Foi declarado que homossexuais e bissexuais poderiam ingressar nas forças armadas.
2001 – Os casais homossexuais viram os seus direitos perante uma união de facto reconhecidos.
2003 – A homossexualidade é protegida pela lei do código do trabalho
2004 – A orientação sexual é incluída no artigo 13º do principio da igualdade na Constituição Portuguesa.
2007 –  É criada uma lei no código penal que protege os homossexuais da discriminação e ofensas à integridade física.
2009 – Foi introduzido o tema da homossexualidade na educação sexual escolar
2010 – Foi promulgada a lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo, considerado um grande passo para a aceitação da homossexualidade em Portugal.
Que direitos ainda faltam?
Atualmente as comunidades LGBT e simpatizantes lutam pelos direitos da adoção homossexual. Até ao presente a adoção por casais do mesmo sexo não é consentida, contudo já foi objeto de análise e as perspetivas são favoráveis para os casais homossexuais." – LGBT Portugal.
Claro que isto apenas adota uma perspetiva legal, não social, mas, de certa forma, algumas destas medidas irão contribuir para uma maior harmonia nas gerações futuras.

Mas voltando ao assunto, como podem ver, a luta pelos direitos LGBTQ+ tem tido especial atenção desde os anos 80, década conhecida por uma forte discriminação em relação aos membros desta comunidade e, também, muito racismo. Mas apenas a partir de 2015 é que se tem visto uma enorme explosão nas redes sociais, nos jornais e nos sites de notícias, nas séries, nos filmes... esta luta agora espalha a sua mensagem por todo o lado.

Como É Que As Empresas e a Indústria do Entretenimento Estão a Usar Isto?

Algo de que muitas pessoas ainda não se aperceberam é como o entretenimento está a usar esta crescente atenção direccionada à comunidade LGBTQ+ para fins lucrativos. As pessoas ficam fascinadas de tal maneira com esta atenção, que, de certa forma, é uma novidade e um grande passo para a igualdade e para a aceitação, que não reparam que estão a "ser usadas" como ímanes de dinheiro.

Grandes empresas como a Coca-Cola e a Pepsi já aderiram a esta luta, mas atenção, isto é uma simples estratégia de marketing, mas também não significa que seja má. É uma situação em que ambas as partes ganham. Estas empresas vão ganhar divulgação gratuita nas redes sociais e vão ser vistas como as "boas da fita", as "politicamente corretas", mas acima de tudo, vão ganhar dinheiro. O que é que a comunidade ganha com isso? Apoio e atenção! Por isso, o facto de esta luta ser vista como uma estratégia, e até me atrevo a dizer, como uma moda, pelas empresas, não é de todo uma coisa má, como apoiante desta luta devo dizer que é uma coisa fantástica, ainda que um pouco exagerada às vezes, mas fantástica!

As pessoas também têm tido uma grande tendência para procurar por séries com personagens LGBTQ+, e se não acreditam, aqui está a prova:
Se pesquisarem no Google: "TV Shows with" dois dos resultados mais pesquisados estão relacionados com a comunidade LGBTQ+ e as produtoras estão totalmente cientes disso. Portanto não fiquem triggered quando eu digo que esta luta está na moda, porque, de maneira alguma, eu vejo isso como algo mau, e vocês também não deviam ver as coisas dessa maneira, é ótimo! As modas vêm e vão, mas a educação e os valores ficam, é isso que é importante! O facto de começarem a haver personagens LGBTQ+ em séries e até jogos, como Overwatch e Dream Daddy, vai fazer com que a aparição dessas mesmas personagens comece a ser normal e comum, fazendo com que pessoas LGBTQ+ sejam integradas a 100% na sociedade, e com que as pessoas deixem de os separar como se fossem um grupo totalmente diferente e os comecem a tratar como iguais, pessoas que fazem parte da nossa sociedade, porque é isso que as pessoas LGBTQ+ são, são apenas pessoas, são apenas humanos, e enquanto as pessoas continuarem a fazer distinção e a enfatizar diferenças esta comunidade apenas se vai isolar mais em vez de se fundir com o resto da sociedade, mas isso fica para outro post.

Conclusão (para quem ficou triggered sem razão e não quis ler tudo)

A luta pelos direitos LGBTQ+ não é apenas uma tentativa de integração de uma minoria na sociedade, é também uma moda. Modas vêm e vão, mas esta deixa educação e valores. Esta moda está expandir-se graças às empresas e às produtoras de entretenimento (filmes, música, séries, etc.) que a estão a usar como uma estratégia de marketing, chamando atenção para os seus produtos, e simultaneamente, dos seus clientes para a luta, para que a curiosidade deles os faça pesquisar sobre o assunto e, consequentemente, com que eles fiquem mais informados e comecem a apoiar a luta porque amor é amor!
"Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade." – Artigo 1º, Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Também Podes Gostar...

0 comentários